pesquisa
ARRAES, Rosa Maria Lourenço. Paisagens de Belém : história, natureza e pintura na obra de Antônio Parreiras, 1895-1909. 159f.,il.color. Dissertação (Mestrado em História)- Universidade Federal do Pará, Belém, 2006.
Esta pesquisa tem como objetivo analisar as pinturas de autoria do artista Antônio Diogo Parreiras, no início do século XX, pertencentes ao Museu de Arte de Belém. São imagens de uma cidade proprietária de uma paisagem equatorial natural que possui também um conjunto urbanístico dos mais representativos de cidades brasileiras, herança de uma época que ficou conhecida como a “Época da Borracha”. Este fato trouxe para o Norte no início do século XX vários artistas, dentre os quais o pintor Antônio Diogo Parreiras que realizou uma exposição de pinturas. As obras de Parreiras que registraram a cidade de Belém são fontes das mais importantes para história. Foi concebida dentro de um contexto do qual fazia parte uma leva de intelectuais e outros artistas brasileiros. Constituem-se como iconografias que possuem em si narrativas irrefutáveis, oferecendo aos espectadores um registro da sociedade e do seu meio ambiente natural, configurando a obra de arte como uma leitura onde é possível revelações, que nos auxiliam na difícil tarefa de compreender a nossa história Social da Amazônia.
SALGUEIRO, Valéria. A paisagem na arte – elementos para uma história e questões para pesquisas futuras. Locus : revista de história, Juiz de Fora, v.3, n.2, p.99-118,1997.

Este trabalho tem por objetivo contribuir para o aprofundamento do conhecimento e para a discussão sobre o paisagismo na arte no Brasil, gênero artístico surgido no país ao final do século XIX. Nele procuramos entender o contexto cultural mais amplo de surgimento e desenvolvimento da paisagem como gênero artístico, buscando identificar marcos significativos que possam permitir delimitar seus termos de estudo e fornecer parâmetros de comparação à experiência brasileira nesse campo, discutindo os limites e possibilidades de uma arte de paisagem brasileira ao final do texto.




O trabalho comenta o conto “Pão Negro” do pintor Antônio Parreiras, recentemente publicado em livro com apresentação e introdução pela autora, buscando ressaltar aspectos relevantes de sua imaginação na elaboração do conto a título de contribuição à historiografia da arte brasileira, em especial da arte e paisagem. Dentre os aspectos destacados do conto e discutidos no presente trabalho, estão o Naturalismo, o Grupo Grimm, individualidade e expressão pessoal, e a prática da arte como sacerdócio.

SALGUEIRO, Valéria. Pão Negro : a paisagem e a imaginação do artista. Locus : revista de história, Juiz de Fora, v. 8, n.1, p.41-52, 2002.